sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

ODE AO LIVRO II


“Sempre que se conta um 
conto de fadas, a noite vem.”
Clarissa Pinkola Estés 
(Indiana-Estados Unidos, n. 1943)
 O livro-árvore, de Salvador Dali 
(Catalunha-Espanha 1904-1989 Catalunha-Espanha)
 
Muitos homens iniciaram uma nova era na sua vida a partir da leitura de um livro.”
Henry David Thoreau (Concord-Estados Unidos 1817-1862 Concord-Estados Unidos)
 Moça lendo com o cão, de Charles Burton Barber
(Londres-Inglaterra), em 1879
“Os poemas são pássaros que chegam 
não se sabe de onde e pousam no livro que lês.
Quando fechas o livro,
eles alçam voo como de um alçapão.
Eles não têm pouso nem porto,
alimentam-se um instante 
em cada par de mãos e partem.
E olhas, então, essas tuas mãos vazias,
no maravilhado espanto de saberes
que o alimento deles já estava em ti...”
Mário Quintana
(
Alegrete-RS 1906-1994
Porto Alegre-RS)
Pintura de Irene Sheri
(Belgorod-Dnestrovsky-Ucrânia, n. 1968)
 “Devemos ler para oferecer à nossa alma a oportunidade de luxúria.”
Henry Miller
(Nova Iorque-Estados Unidos 1891-1980 
 Los Angeles-Estados Unidos)
O jardim dos livros, de Rachel Caiano 
(Portugal, n. 1977)
Livros e solidão:
eis o meu elemento.”
Benjamin Franklin
(Boston-Estados Unidos 1706-
1790 Filadélfia- Estados Unidos) 
Mulher com livro, de Pablo Picasso  
(Málaga-Espanha 1881-1973 Mougins-França)
 
“A leitura... esse vício impune...”
 
Valéry Larbaud  (Vichy-França 
1881-1957 Vichy-França)
 

A leitora, de Pierre-August Renoir
(Limoges-França 1841-1919 
 Cagnes-sur-Mer-França), em 1875

O livro é um mudo que fala,
um surdo que responde, 
um cego que guia, 
um morto que vive.”
Pe. Antônio Vieira 
(Lisboa-Portugal 1608-1697 Salvador-BA)

Nenhum comentário:

Postar um comentário