sábado, 24 de outubro de 2015

Yacouba Sawadogo, o agricultor que tornou férteis mais de 3 milhões de hectares de terras desérticas

IMPOSSÍVEL NÃO REPRODUZIR!



Sawadogo reviveu uma antiga técnica de cultivo que melhora a qualidade do solo e, como
 resultado, torna mais férteis as terras desérticas. Com uma firme certeza de que tudo
 pode mudar, ele começou a sua luta contra o deserto.
Começou em 1974 quando a seca assolou o Sahel, a zona ecoclimática e biogeográfica 
de transição entre o norte do deserto do Saara e o sul da savana sudanesa.



Embora muitos vizinhos abandonassem suas aldeias, rodeadas de terras estéreis, ele 
só pensava em uma forma de repovoar com árvores a região de Gourga, em Burkina
 Faso (ex República de Alto Volta até 1984.)
Pensavam que ele era louco, mas 40 anos depois conseguiu recuperar mais de três 
milhões de hectares de terreno desértico em 8 países do Sahel, convertendo-as em
 terra de cultivo
Para conquistar seu objetivo, Yacouba Sawadogo decidiu empregar uma técnica de
 agricultura tradicional denominada "ZAi" ainda que adaptando-a aos tempos
 modernos. Este método consiste em cavar regos de uns 20 cm em que se deposita
 esterco e composto ao lado das sementes.



Após três anos de experimentação, convenceu-se de que o método poderia ser a
 solução definitiva para o deserto. Os resultados parecem dar-lhe razão. Desde
 as primeiras chuvas o rendimento da terra se duplica, chegando a multiplicar-se por
 quatro.
Convencido de que poderia revolucionar a vida de seus compatriotas, decide a
 percorrer o país, de moto, para ensinar a técnica a todos os agricultores que pudesse.



Este burkinés, sem utilizar nenhuma técnica da civilização moderna começou a plantar 
segundo a técnica "Zai" tradicional de seus ancestrais, que ele melhorou expandindo
 poços para que se mantenha a umidade e acrescentando esterco e palha para retê-la 
por um tempo maior.
Seus experimentos tiveram êxito, a fertilidade começou a aumentar. Junto com as
 sementes de milho e sorgo começaram a crescer árvores. A forma de plantar 
permitiu que mais água penetrasse no solo. Dessa forma, os aquíferos de água 
subterrânea na região de Yatenga, que haviam diminuído em razão da seca da
 década  de 80, começaram a subir. 



Em torno de acidade de Quahigouya, Capital de Yatenga, no Norte de Burkina Fazo, Sawadogo criou em 20 anos um bosque de 20 ha.
Com o tempo, decidiu melhorar o método plantando também árvores que ajudaram a manter a umidade do solo e favoreciam a infiltação natural da agua. Quarenta e um ano depois dos primeiros experimentos, seu método já recuperou mais de três milhões de hectares de terrenos desérticos e se estendeu de Burkina Fazo a mais 8 países da região de Sahel.
Protagonizou varios filmes documentais como este abaixo: O homem que deteve o deserto, de 2010, do cineasta Mark Dodd e, hoje, dedica-se a dar conferências ensinando seu método e os beneficios que ele traz.



Aqueles que o consideraram louco quando plantava em pleno deserto, agora, aos 67 anos, 
o consideram um herói. E ele diz que, sua recompensa, é saber que milhares de pessoas
 são capazes de viver do fruto de suas terras.



Sua compreensão do mundo e da conservação da natureza é profunda: "Se 
cortamos 10 árvores diariamente e não plantamos uma só em um ano, vamos

Nenhum comentário:

Postar um comentário